Chevrolet Tracker – Agora mais urbano

Se você é amante de aventuras 4×4, o novo Chevrolet Tracker é uma decepção. Ao contrário do modelo antigo, que compartilhava plataforma com o Suzuki Vitara, o atual modelo é, agora, um SUV compacto urbano, e não tem mais nada de jipe off-road que antes era um diferencial.

Invalid rotator ID specified (path erc_71_1388944325 doesn't exist). Unable to display rotator.

Fato é que pouquíssimos consumidores de carros deste tipo rodam por estradas de terra e lama. Assim, a aposta da Chevrolet é conquistar clientes da concorrência, mais especificadamente do Ford EcoSport e do Renault Duster, os líderes de vendas no segmento.

Para isso, a GM posiciona o Tracker exatamente entre as versões de entrada e topo de linha dos concorrentes: o SUV da Chevrolet tem motor 1.8 litro, câmbio automático de seis velocidades e tração dianteira, todos compartilhados com o sedan Cruze.

Vida a bordo
Internamente, porém, o acabamento não acompanha o requinte do sedan, mas, sim, dos modelos mais populares, como Cobalt, Onix e Prisma.

Apesar dos bancos com revestimento em couro, a quantidade de plástico nos acabamentos do painel e portas dão dicas de que não se trata de um carro de luxo, mas um popular robusto, tal como os concorrentes diretos.

Porém, como todo SUV que conta com suspensão elevada, o Tracker é confortável para rodar nas esburacadas vias brasileiras, o que faz dele uma excelente opção, mesmo não tendo opção de tração 4×4.

Disponível em versão única (LTZ), custa a partir de R$ 73.290. Já vem completo de fábrica, com ar-condicionado, direção hidráulica, ABS, airbags, sistema MyLink com câmera traseira e outros mimos. Por mais R$ 3.500, pode-se ter airbags laterais e teto solar elétrico.

Apesar dos 144 cv de potência máxima quando abastecido com etanol, e 18,9 kgfm de torque máximo a 3.800 rpm, o desempenho do Tracker é modesto. O câmbio automático de seis velocidades ajuda bastante, e está bem escalonado em relação ao motor e peso do veículo.

Tal como todo SUV, tem posição de dirigir elevada, com muito boa visibilidade, o que dá segurança ao dirigir. A suspensão é macia, está bem calibrada, e permite algum excesso em manobras um pouco mais bruscas. Vale lembrar que não conta com controle de estabilidade.

O estilo segue o padrão Chevrolet, sóbrio e moderno, que chama atenção pela novidade e não por ousadia.

Ficha técnica
Tracker LTZ 1.8 Ecotec Flex
Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16V
Cilindrada: 1.796 cm³
Potência: 144 cv/140 cv a 6.300 rpm (etanol/gasolina)
Torque: 18,9 kgfm/17,8 kgfm a 3.800 rpm (e/g)
Câmbio: automático – 6 velocidades
Direção: hidráulica
Tração: dianteira
Pneus: 215/55 R18
Freios: discos ventilados na dianteira (300 mm) e tambor (268 mm) na traseira, ABS
Dimensões: comprimento 4.248 mm; largura, 1.776 mm; altura, 1.647 mm; entre-eixos, 2.555 mm
Peso: 1.390 kg
Volumes: porta-malas 306 litros (735 l com bancos rebatidos); tanque de combustível, 53 litros
Desempenho: aceleração de 0 a 100 km/h em 11,5 s /11,7 s (e/g); velocidade máxima de 189/189 Km/h (e/g)

Alexandre Akashi

Alexandre Akashi

Editor da Revista Farol Alto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.