Comparativo: Renault Novo Sandero 1.0 x Nissan New March 1.0

Por custar menos e possuir mais tecnologia, o Nissan New March foi o preferido dos consultores do Jornal Farol Alto, porém o Renault Sandero tem qualidades a ser consideradas

Este ano, Renault Sandero e Nissan New March passam a rodar com novo visual, mais modernos e agressivos. As mudanças, porém, ficaram limitadas à carroceria, uma vez que os conjuntos mecânicos permanecem inalterados. Neste comparativo, escolhemos as versões com motor 1.0 litro, com pacotes intermediários.

Em estilo, o Renault Sandero é mais agradável, principalmente a traseira com lanternas quadradas; a frente renovada de ambos modelos deixou os carros com ar mais agressivo e robusto
A frente renovada de ambos modelos deixou os carros com ar mais agressivo e robusto

Assim, o Renault Sandero é um Expression 1.0 16V, que custa a partir de R$ 35.930, e vem com ar-condicionado, direção hidráulica com ajuste de altura, computador de bordo, comando satélite do sistema de áudio, adesivo na coluna B e maçanetas da cor da lataria. Além disso, o modelo avaliado estava equipado com sistema Media NAV, com tela touchscreen de 7 polegadas, com GPS, rádio, Bluetooth, USB e eco coaching e eco scoring, e sensores de estacionamento traseiro (R$ 1..300), e pintura azul metálica (R$ 1.180), o que elevou o preço para R$ 38.410.

Invalid rotator ID specified (path erc_95_1413233099 doesn't exist). Unable to display rotator.

Já o Nissan March avaliado tinha configuração na versão 1.0 S, que vem com itens de série como ar-condicionado, direção elétrica com regulagem de altura, computador de bordo, vidros dianteiros e traseiros elétricos, travas elétricas das portas e porta-malas, chave com telecomando para abertura e fechamento das portas e porta-malas, e retrovisores externos com regulagem elétrica, a partir de R$ 34.990. Pintado em azul metálico, o preço sobe R$ 490, para R$ 35.480.

O veículo avaliado ainda contava com sistema de som Kenwood DPX300U, de 2 DIN e tela multicolorida, que custa entre R$ 499,99 a R$ 580,80 segundo o Google Shopping.

Preço
Ambos modelos tem preços de aquisição muito similares, sendo o Renault quase R$ 1.000 mais caro sem os opcionais. Se for considerar o preço por m², o Sandero é mais vantajoso, pois é maior e leva cinco passageiros sem muito aperto, apesar de o banco traseiro não ser muito confortável.

Já o New March é um pouco menor e bem mais estreito. Fato é que nenhum deles conta com três encostos de cabeça no banco traseiro, um artifício usado pelas montadoras para economizar na fabricação dos modelos.

Fato é que R$ 35 mil em um carro 1.0 litro é muito dinheiro, mas aqui no Brasil o importante para o consumidor é andar de zero Km e que as prestações caibam no bolso.

Tecnologia
Nenhum dos dois modelos avaliados conta com muita tecnologia agregada. O sistema de propulsão é simples, pequeno e robusto, bicombustível com uso de partida auxiliar (o famoso tanquinho), e sem opção de câmbio automático.

O conjunto mais moderno é do Nissan, que conta com direção com assistência elétrica ante a tradicional assistência hidráulica do Renault.

Porém, o Sandero pode ser equipado com o Media NAV, um sistema integrado de áudio, navegação e computador de bordo que oferece o interessante eco coating e eco scoring, que mostra e avalia a forma como o motorista conduz o veículo.

Design

Em estilo, o Renault Sandero é mais agradável, principalmente a traseira com lanternas quadradas; a frente renovada de ambos modelos deixou os carros com ar mais agressivo e robusto
Em estilo, o Renault Sandero é mais agradável, principalmente a traseira com lanternas quadradas

A evolução do design de ambos modelos é óbvia. Os dois veículo perderam o aspecto infanto-juvenil dos faróis grandes e arredondados, tais como um cartoon japonês, para ganhar conjuntos óticos mais estreitos e com feições agressivas.

Os dois modelos também ficaram mais robustos, principalmente o March, que ganhou quase 5cm a mais de comprimento e 1cm a mais de largura em relação ao modelo anterior.

Motor
Sem muito brilho, motores 1.0 litro têm surpreendido pela evolução em potência e torque nos últimos anos, mas continuam sendo sem graça e pouco eficientes, principalmente em subidas.

O 1.0 do Sandero é mais forte do que o do New March, que desenvolve 74cv de potência a 5.850rpm e torque máximo de 10Kgfm a 4.230rpm, independente do tipo de combustível (etanol ou gasolina). No Renault, os números são 80/77cv a 5.750rpm (etanol/gasolina) e torque máximo de 10,5/10,2Kgfm a 4.250 rpm (e/g).

Invalid rotator ID specified (path erc_75_1413233466 doesn't exist). Unable to display rotator.

Porém, o March é mais rápido do que o Sandero. Vai de 0 a 100Km/h em 13,79/14,48s (e/g), e atinge velocidade máxima de 167km/h (e/g), enquanto o Renault demora 14/14,1s (e/g) e atinge 161/160km/h (e/g) de máxima velocidade. O segredo é o menor peso do Nissan, que tem 956Kg ante 1.013Kg do rival.

Opinião
Convidamos três consultores automotivos do Jornal Farol Alto para experimentar e avaliar os dois modelos. Durante uma tarde inteira, Francisco Carlos de Oliveira, da Stilo Motores, Júlio Cesar de Souza, da Souza Car, e Sergio Torigoe, do Centro de Diagnóstico Automotivo Torigoe, dirigiram e inspecionaram os carros.

Os três reparadores escolheram o Nissan New March como vencedor deste comparativo. “Apesar de menor, é mais ágil e tem melhor dirigibilidade”, afirma Francisco Oliveira, da Stilo Motores.

Para Júlio de Souza, da Souza Car, o Nissan está melhor calibrado e conta com mais tecnologia do que o rival francês. “O desempenho é melhor, e no conjunto da obra a tecnologia do carro japonês acaba sendo superior”, diz.

Já para Sergio Torigoe, a direção elétrica do Nissan fez a diferença neste comparativo, assim como o preço, mais em conta que o rival. “Porém não é para grandes famílias, como o Sandero”, pondera.

De fato, em se tratando de tamanho, o Sandero vence, porém como nem sempre tamanho é documento, o pequeno japonês levou a melhor neste comparativo.

Ficha técnica
Nissan March 1.0 16V D4D-L5 Renault Novo Sandero 1.0 16V Hi-Power
Motor: dianteiro, 4 cilindros, 16V, flex dianteiro, 4 cilindros, 16V, flex
Cilindrada: 998 cm³  999 cm³
Potência: 74cv a 5.850 rpm (etanol/gasolina) 80/77cv a 5.750 rpm (etanol/gasolina)
Torque: 10gfm a 4.230 rpm (e/g) 10,5/10,2kgfm a 4.250 rpm (e/g)
Câmbio: manual – 5 marchas manual – 5 marchas
Direção: elétrica mecânica (hidráulica opcional)
Tração: dianteira dianteira
Pneus:  165/70 R14 185/65 R15
Freios: disco sólido na dianteira (260mm) tambor traseira (203mm), ABS com EBD disco sólido na dianteira (259x12mm) tambor traseira (203mm), ABS com EBD
Dimensões:  comprimento, 3.827mm; largura, 1.675mm; altura, 1.528mm; entre-eixos, 2.450mm comprimento, 4.060mm; largura, 1.733mm; altura, 1.536mm; entre-eixos, 2.590mm
Peso:  956kg 1.013kg
Volumes: porta-malas – 265l; Tanque de combustível: 41l porta-malas – 320l; Tanque de combustível: 50l
Desempenho:  0 a 100 km/h em 13,79/14,48s (e/g); velocidade máxima de 167km/h (e/g) 0 a 100 km/h em 14/14,1s (e/g); velocidade máxima de 161/160km/h (e/g)
Consumo: urbano – 8,7/12,5km/l (e/g); estrada – 10,4/14,8km/l (e/g) urbano – 8,1/11,9km/l (e/g); estrada – 9,2/13,4km/l (e/g)
Alexandre Akashi

Alexandre Akashi

Editor da Revista Farol Alto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.