Defeitos intrigantes – Sumiço misterioso no I-Motion

Alexandre Morikawa Automecânica e Elétrica Morikawa R. São Paulo de Oliveira, 877  Jd. Cumbica, Guarulhos  (11) 2481-3819
Alexandre Morikawa
Automecânica e Elétrica Morikawa
R. São Paulo de Oliveira, 877
Jd. Cumbica, Guarulhos
(11) 2481-3819

Este mês tivemos um caso de defeito intrigante aqui na oficina. Tratava-se de um Volkswagen Fox 1.6 I-Motion 2011, com 81.000 km rodados, com problema de engate das marchas. Somente a primeira entrava, o que nos levou a acreditar que o sistema robotizado tinha algum defeito.

Não foi difícil encontrar o motivo de o câmbio ter entrado em módulo de emergência, porém é duro entender como isso pode ter acontecido. Nosso diagnóstico mostrou que o nível de óleo lubrificante que aciona o sistema hidráulico do câmbio estava muito baixo, e para evitar a queima dos componentes, o módulo de controle limitou a operação do robô que efetua as trocas de marchas, para obrigar o motorista a parar o carro para manutenção.

Porém, tanto o fabricante do câmbio (Magneti Marelli) quanto a montadora (Volkswagen) alegam categoricamente que não é preciso, nunca, trocar o óleo do sistema robotizado, nem tampouco completar o nível, pois trata-se de um sistema fechado. Bom, está comprovado que não é bem assim, e merece uma revisão no projeto.

O Fox I-Motion 2011 com 81.000 km sem óleo no reservatório do câmbio robotizado
O Fox I-Motion 2011 com 81.000 km sem óleo no reservatório do câmbio robotizado

Avaliamos o sistema como um todo e não havia sinais claros de vazamentos, assim, para onde foi o óleo? Este é o misterioso caso do sumiço do óleo do I-Motion. E não é o único. Há diversos de casos assim.

Independente deste defeito crônico e intrigante, tivemos uma segunda surpresa desagradável ao realizar os procedimentos para substituição do óleo. Sim, trocamos todo o óleo, pois não é recomendado completar o nível, simplesmente.

Alerta no painel permanecia aceso após várias tentativas de reprogramar o sistema
Alerta no painel permanecia aceso após várias tentativas de reprogramar o sistema

E um alerta: quem tem um carro com este tipo de câmbio e perceber defeito parecido, nunca tente abrir a tampa do reservatório de óleo sem antes despressurizar o sistema, com auxílio de um scanner. Isso é necessário para não danificá-lo mais ainda. Despressurizamos, tiramos o óleo velho, colocamos o novo e partimos para o procedimento de reaprendizagem do câmbio.

A localização da tampa do reservatório do câmbio I-Motion, que não deve ser aberta sem antes despressurização do sistema, que deve ser feito com scanner
A localização da tampa do reservatório do câmbio I-Motion, que não deve ser aberta sem antes despressurização do sistema, que deve ser feito com scanner

Contamos com dois scanners aqui na oficina e ambos nos foram vendidos como aptos para este trabalho, porém tanto o Rasther II quanto o Raven 3 se mostraram ineficazes. Os programas chegavam a ler o sistema, realizavam alguns testes, mas nada de finalizar o processo de aprendizagem. O fabricante do Raven 3 ficou curioso e nos dará um parecer posteriormente. Já o Rasther conta com uma versão mais moderna, porém se esta possui o procedimento, deveria ser eficiente.

O scanner Kaptor V3, da Alfatest, que realizou o procedimento com sucesso
O scanner Kaptor V3, da Alfatest, que realizou o procedimento com sucesso

A solução foi buscar um equipamento emprestado. Usamos um Kaptor V3, com todas as licenças existentes. Na primeira tentativa resolvemos o caso.

Alexandre Akashi

Alexandre Akashi

Editor da Revista Farol Alto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.