Peugeot 308 THP Flex – Conforto entre trancos

Dos quatro veículos avaliados este mês, o Peugeot 308 THP Flex é, sem dúvidas, o modelo que possui o melhor conjunto tecnológico e interessante relação custo-benefício. Completo de série, custa a partir de R$ 84.490, mais R$ 1.590 da pintura perolizada Branco Nacre. Porém, vende quase 20 vezes menos do que o HR-V, que custa R$ 10.000 a mais. Por que será?

Invalid rotator ID specified (path erc_29_1469711058 doesn't exist). Unable to display rotator.

A resposta é simples. Trata-se da força da marca. O HR-V, apesar de ser novidade no mercado, será muito mais fácil de vender usado do que o Peugeot. Com isso, tende a desvalorizar menos. Isso é relativamente fácil de corrigir, mas precisa partir de dentro da marca.

O 308 THP Flex é, no entanto, um veículo excepcional, porém como grande maioria dos Peugeot apresenta suspensão barulhenta, principalmente a dianteira, com o pseudo McPherson. As bandejas não assimilam direito o piso ruim das vias brasileiras e isso prejudica um pouco o conforto ao dirigir.

O veículo avaliado apresentou certo descompasso entre a injeção direta de combustível e o câmbio automático de seis velocidades. Ambos são excelentes, mas pre¬cisam de um ajuste fino uma vez que deu trancos em diversas situ¬ações, tanto que rendeu o seguinte comentário do editor-técnico, José Carlos Finardi: “Parece até que o câmbio é robotizado, de tanto tranco que dá”. Curiosamente, esta era uma situação que o modelo THP a gasolina não apresentava.

Outra situação que incomodou um pouco no 308 THP Flex foi a demora na resposta do acelerador, seguida de certa brutalidade ao arrancar. Como leva muito tempo para iniciar o movimento, aperta-se mais o pedal da direita, e o tranco é inevitável.

Opcionais
O interessante da estratégia de comercialização do modelo é a ausência de opcionais. Pelo preço, todos os itens de conforto e segurança são de série, com destaque para sensores de estacionamento dianteiro e traseiro acompanhados de câmera de ré, seis airbags (frontais, laterais e de cortina), ar-condicionado digital dual zone, e teto panorâmico de vidro.

Ao volante, a sensação é de dirigir um carro mais alto do que um simples hatchback. A direção com assistência hidráulica é um tanto o quanto pesada, a Peugeot já poderia tê-la substituído por uma elétrica, o que facilita ainda mais na hora de manobrar, ainda mais com pneus largos 225/45, que revestem as belas rodas de 17”. No final das contas, é um carro para se pensar. Tem tecnologia de sobra, mas uma marca que ainda precisa agradar mais ao brasileiro.

Ficha técnica
Peugeot 308 THP Flex
Motor: dianteiro, transversal, 1.6l, DOHC 16 V turbo, injeção direta, flex, 1.598 cm3, 173 cv/166 cv a 6.000 (Etanol/Gasolina), 24 kgfm a 1.400 rpm (e/g)
Câmbio: automático de seis velocidades
Direção: assistência hidráulica
Tração: dianteira
Suspensão: independente tipo pseudo McPherson na dianteira e travessa deformável na traseira
Freios: dianteiros a disco ventilados e sólidos na traseira
Rodas e pneus: liga leve, 225/45 R17
Dimensões: comprimento, 4.292mm; largura, 2.064mm, altura 1.518mm; entre-eixos, 2.608mm, peso, 1.392kg; porta-malas, 430; tanque de combustível, 60l
Desempenho: velocidade máxima, 215 km/h (e/g); aceleração 0 a 100 km/h: 8,1/8,3 s (e/g)
Consumo: n/d

Alexandre Akashi

Alexandre Akashi

Editor da Revista Farol Alto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.