Problemas e câmbio final!

Há tempos não dou uma boa notícia neste espaço, assim preparem-se. Consertar a caixa de transmissão automática de quatro marchas dos veículos franceses já não é mais um absurdo de cara. Com pouco mais de R$ 3.500 é possível recuperar a transmissão.

Renault Duster 2.0 com 72.000 km precisou trocar solenóides de pressão e anéis da tampa traseira, componente que geralmente apresentam defeito com esta quilometragem

Acabei descobrindo isso com um caso que ocorreu no mês passado aqui na oficina. Um cliente antigo comprou um Renault Duster 2.0 2013 automático, e com pouco mais de 72.000 km rodados a transmissão travou, somente engatava 1ª e marcha-à-ré. Geralmente não realizamos este tipo de serviço, retiramos o câmbio e enviamos para um especialista, porém como se tratava de um cliente antigo, que nos pediu ajuda, resolvemos encarar o desafio.

Defeitos nas solenóides do corpo de válvulas são comuns nesse câmbio. Geralmente ocorrem por volta dos 60.000 km, e causam trancos, acendem a luz de anomalia no painel e trava o câmbio em terceira marcha.

Assim, antes de remover o câmbio do carro, retiramos o corpo de válvulas para fazer limpeza e trocar as solenidades. Infelizmente o defeito não era apenas nas solenóides de pressão, pois ao remontar descobrimos que o problema persistia. Consultamos um especialista que recomendou um teste de bancada no corpo de válvulas e na seletora das marchas, que mostrou estar em ordem.

Pelo sintoma apresentado o especialista pediu para retirar a tampa traseira do eixo de comando de acionamento das marchas. Feito teste em bancada verificamos o não funcionamento da 3ª e 4ª marchas.

Desmontamos o eixo até o conjunto de acionamento onde encontramos a trava metálica do pistão de acionamento da 3ª e 4ª marchas quebradas, que substituímos por outras novas, originais.

O especialista informou que este é mais um defeito crônico dessa transmissão, que faz com que o carro comece a dar trancos na mudança de marchas, antes mesmo das travas quebrarem, e se não for reparado nesse momento o risco delas se partirem é alto.

Sergio Torigoe

Sergio Torigoe

Engenheiro mecânico, proprietário do Centro de Diagnóstico Automotivo Torigoe, na Rua Serra de Botucatú, 2724, Tatuapé. (11) 2097-8440

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *