Primeira lombada eletrônica do país completa 26 anos

Em 1992 a capital do Paraná, Curitiba, era a primeira cidade do país a contar umas uma lombada eletrônica. O equipamento pioneiro foi instalado na Rua Francisco Derosso, em frente a uma escola, no bairro Xaxim, uma das vias mais movimentadas do bairro. Ainda hoje, ela permanece no local funcionando plenamente.

Desenvolvida pela Perkons, a lombada eletrônica é utilizada em vários países, e recebeu prêmios importantes como o Destaque Indústria, realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), em 1994, além de ter sido incluída no livro 101 Inovações Brasileiras, que tem o objetivo de valorizar a criatividade e o empreendedorismo nacional

Ao longo de quase três décadas e atualmente utilizada em larga escala no Brasil e no mundo, a lombada eletrônica colabora para resultados importantes no trânsito. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec-Rio), cada um desses dispositivos evitam cerca de três mortes e 34 acidentes por ano. De acordo com o  Detran-PR, sete anos  após o início da utilização do equipamento,  Curitiba teve uma redução de 40% no número de acidentes de trânsito.

Novas tecnologias

Desde a implantação das lombadas eletrônicas, a empresa desenvolveu novos aparelhos de fiscalização eletrônica de trânsito mais modernos e  que registram muitas situações além do excesso de velocidade, tais como: avanço de sinal vermelho, parada sobre a faixa de pedestres, conversão ou retorno em locais proibidos, transitar no acostamento ou contramão, ultrapassagem em local proibido, e transitar em locais e horários não permitidos ou em pistas de circulação exclusiva.

As novas tecnologias também monitoram múltiplas faixas e podem ser instalados em diferentes configurações: com ou sem display, em postes ou outras estruturas pré-existentes. As câmeras são de altíssima resolução para capturar imagens cada vez mais nítidas, sendo ideais para o monitoramento e registro automático de infrações em rodovias, trechos expressos, vias arteriais, coletoras e locais.

Antonio Puga

Antonio Puga

Antonio Puga é jornalista, especializado no setor automotivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.