Jeep Gladiator 2020, a picape com história

A Jeep levou para o Salão do Automóvel de Los Angeles um dos veículos ícones da marca, o Gladiator. Só que a versão 2020 do modelo que será comercializado nas versões de acabamentos: Sport, Sport S+, Overland e Rubicon. Produzido em Toledo (EUA), ele chega às concessionárias norte-americanos no segundo trimestre de 2019.

O novo Gladiator teve mantido o design que marcou o veículo, grade de sete fendas do Wrangler, desta vez mais largas para aumentar o fluxo de ar e ajudar o motor, aspecto importante com o incremento da capacidade de reboque. A parte superior da grade está suavemente inclinada para melhorar a aerodinâmica.

As versões Overland e Rubicon oferecem, como opção, faróis dianteiros e de neblina de LED que proporcionam uma nítida luz. Os veículos com LED contam também com luzes de circulação diurna (DRL) que formam uma auréola ao redor dos faróis. Os indicadores de direção dianteiros estão na frente dos para-lamas trapezoidais. Atrás, as tradicionais lanternas quadradas, que também podem ser de LED, ladeiam a tampa traseira, que tem trava elétrica e três posições de abertura.

Ac caçamba recebeu atenção especial, como a iluminação do piso, a fonte de alimentação elétrica coberta (400 W, 115 V) e ganchos. O suporte do estepe fica sob a caçamba, atrás do eixo traseiro, podendo alojar pneus de até 35 polegadas. Revestimento protetor, divisor de carga e capota marítima dão mais praticidade e durabilidade. Os Gladiator Rubicon incorporam robustas barras protetoras debaixo da caçamba, contra rochas.

O teto de lona premium Sunrider, exclusivo no segmento, tem mecanismo de abertura intuitivo e ajuda a reduzir o ruído do vento. Com ele na posição intermediária ou completamente aberta se pode acessar facilmente o interior. Os pontos de fixação deslizam por um trilho para simplificar a desmontagem do vidro traseiro.

As configurações Overland e Rubicon do Gladiator compartilham a opção de teto rígido em três peças na cor da carroceria. O mesmo teto pode ser preto, em qualquer versão. Os painéis modulares Freedom e as novas travas facilitam a operação de desmontagem e instalação do teto. O vidro traseiro conta com uma abertura manual deslizante e para-brisa rebatível.

Motor único

Para o lançamento, o Gladiator conta com um único motor: o Pentastar V6 de 3,6 litros, a gasolina, de 289 cv de potência, 35,9 kgfm de torque e conta com o sistema Stop-Star, câmbio manual de seis marchas será padrão no Pentastar, com a caixa automática de oito velocidades como opcional.

O  Gladiator 2020 traz mais de 80 componentes de segurança ativa e passiva disponíveis. Entre eles: monitoramento de pontos cegos, sensor de rota transversal de ré (Rear Cross Path), câmera dianteira off-road, câmera traseira ParkView com linhas dinâmicas, controle adaptativo de velocidade (ACC) e controle eletrônico de estabilidade (ESC) com mitigação eletrônica de capotamento.

Interior de luxo

O interior remete a versão história com o console central de design limpo e esculpido que complementa o quadro de instrumentos, painel de instrumentos revestido a mão, de série na versão Overland e disponível na Rubicon, apresenta superfícies suaves ao tato com costuras contrastantes. A partida por botão é item de série em todos os Gladiator. Quem viaja no banco traseiro encontram espaço para as pernas, redes na parede traseira da cabine que dão espaço de armazenagem adicional. Outras soluções práticas para transportar objetos no Gladiator 2020 incluem resistentes bolsos nas portas e vários nichos para telefones celulares.

Ao levantar o assento (bipartido 60/40), que também pode ser deitado, existem dois compartimentos que podem receber a opção de fechadura com chave, muito útil para guardar objetos com segurança quando se removem as portas e/ou o teto ou se rebate o para-brisas.

História

O Gladiator 2020 traz uma longa tradição de picapes, em 1947 quando a Willys-Overland lançou uma picape de uma tonelada com tração 4×4 baseada no CJ-2A.

Jeep Pickup: 1947 a 1965- Uma picape com 2,99 m de distância entre os eixos que teve poucas mudanças ao longo de sua trajetória. Foi a primeira tentativa da Willys para diversificar a marca Jeep a partir do CJ. Teve fabricação no Brasil entre as décadas de 1960 e 1980.

Jeep FC-150/170 Pickup: 1957 a 1965: Com cabine sobre o eixo dianteiro, a série Forward Control (FC) foi criada para o trabalho, com entre-eixos de 2,06 m para o FC-150 e de 2,63 m para o FC-170. Alguns FC-170 tiveram rodado traseiro duplo e câmbio de quatro marchas.

Jeep Gladiator/J-Series: 1963 a 1987: Baseada no Wagoneer, o Gladiator estreou em 1963 com entre-eixos de 3,05 m (J-200) ou 3,20 m (J-300) e caixa de transferência Dana 20 e eixos Dana 44. O nome Gladiator foi retirado em 1972.

Jeep CJ-8 Scrambler: 1981 a 1985:lançado em 1981, o Scrambler foi um Jeep similar ao CJ-7 mas com distância entre os eixos maior. Conhecido internamente como CJ-8, teve versões de teto rígido e de lona. Menos de 30.000 unidades foram produzidas, o que o faz muito desejado entre os colecionadores.

Jeep Comanche (MJ): 1986 a 1992: Feito sobre a plataforma do Cherokee e com equipamento equivalente, a picape recebeu uma caçamba de 1,83 m em 1987. Os últimos modelos ofereceram sistemas de tração 4×4 Selec-Trac e Command-Trac.

Antonio Puga

Antonio Puga

Antonio Puga é jornalista, especializado no setor automotivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.