Nissan demite ex-CEO acusado de corrupção

O conselho da Nissan demitiu por unanimidade o ex-CEO Carlos Ghosn. O brasileiro está preso no Japão por suposta irregularidade na informação sobre lucros. Também foi exonerado o assessor do executivo Greg Kelly, preso no Japão por envolvimento nas irregularidades do ex-chefe. A decisão só será formalizada quando houver os votos de todos os acionistas da empresa.

Ghosn que está detido sob custódia, em Tóquio, desde o dia 19, e deve permanecer por mais dez dias preso. Os promotores de Justiça alegam que ele subestimou metade dos US$ 90 milhões de dólares que ganhou ao longo de um período de 5 anos.

Durante 20 anos Carlos Ghosn liderou a montadora e supervisionou a aliança da Nissan com a montadora francesa Renault e a japonesa Mitsubishi Motors.

*com informações da Agência Brasil

Antonio Puga

Antonio Puga

Antonio Puga é jornalista, especializado no setor automotivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.