Lego constrói McLaren Senna em tamanho real

O McLaren Senna nem mesmo saiu da linha de montagem e já é uma lenda. Tanto que a fabricante de brinquedos Lego decidiu montar um exemplar em tamanho real, que consumiu quase 5 mil horas de trabalho e 500 mil peças. O resultado é um brinquedo interativo que permite entrar, sentar ao volante e apertar o botão “Start” no teto e ouvir até uma simulação do ronco do motor do superesportivo em alta velocidade.

Entre as curiosidades, algumas chamam atenção. O carro feito de Lego é 500 kg mais pesado do que o de verdade, que pesa 1.200 kg. Além disso, é possível ligar os faróis, acender o pisca-alerta e acessar o sistema de informação e entretenimento no painel.

Só para montar o brinquedo, a Lego precisou de 2.725 horas para juntar todas as peças. Isso é nove vezes mais do que se leva para produzir um Senna de verdade, que é montado a mão em 300 horas.

As portas são removíveis para permitir o acesso à cabine

As portas diédricas são feitas com os bloquinhos e são removíveis para permitir o acesso das pessoas à cabine. As marcas prometem apresentar o brinquedo em eventos ao redor do mundo, com calendário a ser divulgado posteriormente.

O modelo de Lego foi feito com peças na cor cinza Victory com detalhes contrastantes em laranja. Apesar de o modelo em tamanho real não estar à venda, a Lego oferece réplicas de 15 cm que custam aproximadamente R$ 100 em lojas brasileiras.

O McLaren Senna de verdade vale cerca de R$ 8 milhões e no Brasil foi apresentado oficialmente no estande da marca SENNA, no último Salão Internacional do Automóvel, em São Paulo, no início de novembro do ano passado. As 500 unidades que estão sendo produzidas na McLaren Automotive, em Woking, na Inglaterra, foram imediatamente comercializadas – três delas para o mercado brasileiro que estão previstas chegar a partir de maio deste ano.

Com motor V8 4.0 biturbo, com 800 cavalos de potência (a maior entre todos os modelos de rua da marca), atinge velocidade máxima de 340 km/h e acelera de 0 a 200 km/h em apenas 6,8 segundos. Seu maior destaque é a aerodinâmica semelhante ao de um carro de F-1.

Alexandre Akashi

Alexandre Akashi

Editor da Revista Farol Alto alexandre@farolalto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.