Jeep lança novo Wrangler

A Jeep acaba de apresentar a nova geração do Wrangler que chega ao mercado brasileiro na versão Sahara em duas carrocerias, de duas e quatro portas (Unlimited), sempre com capota rígida removível e dividida em três partes. Os preços sugeridos são de R$ 259.990 (2p) e R$ 274.990 (4p). Já a versão Rubicon está prevista para o próximo semestre.

O Jeep Wrangler 2019 conta com sistemas 4×4 avançados e, pela primeira vez na história do Wrangler, uma caixa de transferência de duas velocidades com tração integral permanente e uma relação reduzida de 2,72:1. Chamada de Selec-Trac, essa nova caixa de transferência permite que o condutor o configure e esqueça, enquanto a força é constantemente entregue às rodas dianteiras e traseiras. Entretanto, continuam existindo as posições específicas para off-road, com a tração 4×4 dividida igualmente entre os dois eixos e a 4×4 reduzida.


A capota rígida é removível e dividida em três partes

No Wrangler Rubicon, o sistema Rock-Trac 4×4 terá eixos Dana 44 de última geração e alto desempenho com relação reduzida de 4:1. Os outros recursos exclusivos serão: diferenciais de bloqueio eletrônico Tru-Lok, barra estabilizadora dianteira com desconexão eletrônica, suspensão 5 cm mais alta, pneus lameiros BF Goodrich de 33 polegadas e mais proteção sob a carroceria.

Nessa nova plataforma do Wrangler, a redução de peso foi intensa: portas, capô, para-lamas dianteiros, tampa traseira de alumínio, assim como sistema de direção e suportes do motor. O trabalho fez o Jeep Wrangler “emagrecer” cerca de 100 kg, dependendo da versão.


O conjunto multimídia Uconnect tem tela de 8,4 polegadas

Sob o capô, o Wrangler conta com motor turbo de 2 litros a gasolina, de 4 cilindros em linha e injeção direta, que rende 272 cv de potência e 40,8 kgfm de torque, acoplado a um novo câmbio automático de 8 marchas (três a mais que antes).

Esse novo motor tem turbocompressor twin-scroll (fluxo duplo) de baixa inércia com um válvula waste-gate de atuação eletrônica. O turbo é montado diretamente no cabeçote para melhorar a durabilidade. Um circuito de refrigeração dedicado reduz a temperatura do ar de admissão, do corpo do acelerador e do turbo.

Modelo ficou 100 kg mais leve graças ao uso intenso de alumínio

A injeção direta, juntamente ao turbo, permite combustão mais eficiente e um maior desempenho, com sistema common-rail de alta pressão (2.900 psi). Essas altas pressões produzem melhor pulverização do combustível e entrega de combustível mais precisa, dando mais rendimento.

O novo câmbio de oito marchas entrega melhor desempenho em trilhas off-road e mais suavidade no asfalto. Um conjunto único com dois níveis de overdrive melhoram a economia de combustível em rodovia, gerando reduções em ruído, vibração e aspereza (NVH).

Alexandre Akashi

Alexandre Akashi

Editor da Revista Farol Alto alexandre@farolalto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.