Trânsito violento no Rio

Um estudo do Instituto de Segurança Pública (ISP) e da Coordenadoria de Estatística e Acidentologia do Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ) revelou que, em 2018, atropelamentos causaram 35% das mortes no trânsito do estado.

Os pesquisadores traçaram o perfil das pessoas acidentadas e constataram que 44,7% dos mortos em atropelamentos tinham mais de 60 anos. O segundo tipo de acidente que mais produziu vítimas fatais foi a colisão de veículos. Os dados apontam que o perfil mais frequente entre as vítimas é o jovem com 18 e 29 anos.

Quando considerados os acidentes sem vítimas fatais, a pesquisa mostra que 23% foram motivados por batida de veículos, e 11% por atropelamentos.

Ao longo do ano de 2018, 1.957 pessoas morreram em acidentes de trânsito no estado e outras 27.520 se lesionaram, o que gera uma média de 81 pessoas acidentadas por dia nas ruas fluminenses. Os acidentes são mais frequentes à noite e nos fins de semana, e as cidades do interior têm uma taxa de acidentes por 100 mil habitantes maior do que a da capital.

O estudo também levantou as principais infrações de trânsito cometidas nas ruas e estradas fluminenses. Metade das infrações no estado se deu por excesso de velocidade, e a maioria delas foi registrada por radares eletrônicos, conhecidos como pardais.

Os homens são os principais infratores de trânsito, sendo responsáveis por 59,6% dos casos. Já as mulheres cometeram 22,1% das infrações.  Em relação à faixa etária, as pessoas de 31 a 40 anos cometeram 21,1% dos casos, e a segunda idade mais relevante foi de 41 a 50 anos, respondendo por 18,9% das infrações.

*Com informações da Agência Brasil

Antonio Puga

Antonio Puga

Antonio Puga é jornalista, especializado no setor automotivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.