Defeito crônico – Marcha queimada

Adilson Abachioni,  Auto Astral Mecânica Av. dos Pequis, 320  Jd. Vl. Formosa  (11) 2916-0599
Adilson Abachioni,
Auto Astral Mecânica
Av. dos Pequis, 320
Jd. Vl. Formosa
(11) 2916-0599

De repente, sem nenhum tipo de aviso, do nada, a quinta marcha começa a apresentar dificuldade de engate. As demais, porém, entram normalmente, sem problemas. Esse é um defeito muito comum em diversos modelos Renault com motor 1.6l e transmissão manual, como os antigos Clio e Scenic, e também os mais novos Sandero e Logan, uma vez que o modelo do câmbio é o mesmo.

Nos últimos tempos, já atendi mais de seis casos do gênero, sendo o último o Renault Clio das fotos, fabricado em 2004, com pouco mais de 80.000 km. E esta não é a primeira vez que isso acontece com esse mesmo veículo, segundo relato do proprietário. Na primeira vez, porém, o prejuízo foi maior, pois não deu a devida atenção ao defeito e acabou queimando a quinta marcha, o que obrigou a refazer o câmbio.

Quando chegou a esse ponto, a quinta marcha não entrava mais, pois o conjunto trabalhou sem óleo e queimou as engrenagens, sendo necessário substituir diversos componentes, inclusive o garfo, que quebrou com o atrito. As engrenagens das demais marchas, no entanto, nada sofreram. Isso ocorre pois o conjunto da quinta marcha fica mais elevado e é o primeiro a sofrer quando há baixa no nível de lubrificante.

Defeito é comum em diversos modelos Renault com motor 1.6l e transmissão manual
Defeito é comum em diversos modelos Renault com motor 1.6l e transmissão manual

Infelizmente quando há a necessidade de abrir o câmbio e trocar componentes internos o preço do serviço não é barato. Por isso, é importante ficar atento. Mas, a questão de tudo é: por onde ocorre o vazamento do óleo da transmissão? E é neste ponto que está a falha de projeto deste câmbio: a coifa do semieixo, que é de borracha, se rompe e deixa boa parte do lubrificante vazar.

A coifa rasgou e vazou boa parte do óleo da transmissão; risco de danificar o câmbio é grande
A coifa rasgou e vazou boa parte do óleo da transmissão; risco de danificar o câmbio é grande

Por ser de borracha, a peça tem prazo de validade, que é de cinco anos. Pode durar mais, sim, porém é sempre bom verificar a cada revisão se está em perfeitas condições e, ao menor sinal de rompimento, substituí-la, de preferência por uma outra original ou de marca reconhecida pelo mercado, que são um pouco mais caras, porém com garantia. No caso do Clio, o componente durou menos do que o esperado.

Assim, proprietários desses veículos devem ficar atentos às manchas de óleo no chão da garagem. Este é o primeiro indício de que algo não está certo com o veículo. Outro é se, por algum motivo, começar a sentir dificuldade de engatar a quinta marcha. Neste caso recomendamos que busquem uma oficina de confiança o quanto antes para verificar as condições da coifa do câmbio.

Alexandre Akashi

Alexandre Akashi

Editor da Revista Farol Alto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.