Defeitos intrigantes – O rato roeu a caixa de ar e lá ficou

Sergio Torigoe Centro de Diagnóstico Automotivo Torigoe Rua Serra de Botucatú, 2724 (11) 2097-8440
Sergio Torigoe
Centro de Diagnóstico Automotivo Torigoe
Rua Serra de Botucatú, 2724
(11) 2097-8440

Quando o carro quebra ou apresenta algum tipo de problema mecânico, raramente exala fortes odores. Ainda bem. Mas, às vezes, passamos por situações que são no mínimo desagradáveis, tal como ocorreu com um Renault Sandero 1.6 16V 2009 de um cliente que chegou por recomendação.

O carro cheirava a putrefação. Era impossível ficar mais do que alguns minutos dentro dele, parecia que tinha um bicho morto lá. O dono do carro contou que o veículo já estava assim há algum tempo, e havia procurado diversas oficinas, mas nenhuma conseguia encontrar a origem do fedor. Trocou várias vezes o filtro de ar-condicionado, fez diversas higienizações, mas o cheiro sempre voltava. Sem saber mais o que fazer, buscou ajuda com amigos que indicaram a Torigoe.

Aceitamos o desafio, mas avisamos que seria preciso desmontar boa parte do veículo para encontrar o problema, e por isso não havia prazo nem orçamento pré-determinado.

O Renault Sandero 1.6 16V 2009 que foi invadido por um rato
O Renault Sandero 1.6 16V 2009 que foi invadido por um rato

Como era praticamente impossível dirigir com aquele cheiro, concordou em deixar o carro. Percebemos que o mal cheiro se intensificava quando o ar-condicionado era acionado, o que nos deu uma dica: poderia ser algo no sistema, na caixa de ar. Porém, o sistema é fechado e não há como entrar nada lá.

Todo o console do Sandero foi desmontado para acessar a caixa evaporadora do ar-condicionado, onde havia um rato morto
Todo o console do Sandero foi desmontado para acessar a caixa evaporadora do ar-condicionado, onde havia um rato morto

E pior: para acessar a caixa de ar é preciso desmontar todo o painel do veículo. Não havia alternativa. Compramos máscaras de ar, que ajudaram a filtrar o mal cheiro, mas não totalmente, e começamos o trabalho.

Foi difícil. Levamos praticamente o dia inteiro para desmontar tudo, e quando chegamos na caixa evaporadora do ar descobrimos um furo que não deveria existir. Retiramos a caixa do carro e a abrimos. O furo na caixa havia sido feito por um rato, que não se sabe como entrou no carro, se esgueirou por trás do console, roeu a caixa do evaporador, entrou e lá ficou até morrer.

A caixa de ar com furo feito pelo rato
A caixa de ar com furo feito pelo rato

Trocamos a caixa, limpamos tudo, mas o cheiro já estava impregnado no carro. Iria demorar meses para sair de forma natural. Assim, recorremos ao processo de oxi-sanitização, em que ligamos um aparelho produtor de ozônio dentro do carro, por aproximadamente 30 minutos. O ozônio é um gás instável que em contato com microorganismos os elimina e se transforma em oxigênio. O preço de todo esse trabalho ficou em R$ 1.100, que o cliente pagou com certa alegria.

Alexandre Akashi

Alexandre Akashi

Editor da Revista Farol Alto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.