Quando ouvir o carro é importante

Saber ouvir é importante. Principalmente quando o som que deve ser ouvido vem do seu carro. Os barulhos podem revelar uma série de problemas do veículo. Por isso, é fundamental estar atento a eles.

O engenheiro Eliel Bartels, do Centro de Tecnologia, Treinamento e Inovação da Dpaschoal, explica que o ideal é ter todo o conjunto de peças trabalhando em harmonia e de forma silenciosa. “É aconselhável, nesse caso, ficar atento à origem dos ruídos e em quais momentos eles ocorrem, para, na sequência, procurar um especialista”, diz.

Para “entender” os sons do emitidos pelo carro, o engenheiro dá algumas dicas.

Assovio na frenagem. O sistema de freios tem como objetivo parar o veículo de forma eficiente, segura e silenciosa, mas em alguns casos as pastilhas não conseguem trabalhar sem assoviar. Esse som vem do desgaste acentuado das pastilhas. “O ruído na maioria das vezes sinaliza um desgaste considerável do material de atrito. Muitos veículos são projetados com alarmes sonoros nas pastilhas e que devem gritar quando chegam em seu limite de uso”.

Rangidos e batidas secas na suspensão. Esse tipo de ruído pode ser associado a diversos componentes da suspensão – batente protetor de amortecedor até a caixa de direção, passando por, pivôs, barras, bandejas e buchas.“Estes barulhos requerem uma detalhada análise e um diagnóstico bem preciso. É importante que oficina tenha ferramentas específicas para o diagnóstico e também para a troca das peças”.

Estalos na curva. Este som geralmente se manifesta na hora de esterçar e manobrar o veículo. Trata-se de um agudo e repetitivo estalo, vindo das rodas, e geralmente indica que a junta homocinética do veículo está precisando ser substituída. “As juntas possuem uma coifa protetora de borracha que, com o tempo, pode rasgar e permitir o acesso de sujeira nos rolamentos que, quando combinada com a graxa típica deste componente, gera um efeito esfoliante na peça, causando folga mecânica nos alojamentos das esferas e o barulho indesejado”. Lavar o carro com produtos que agridem a borracha também podem causar a deterioração da coifa e consequentemente o surgimento dos barulhos, garante o especialista.

Pneus que cantam. Não é raro ouvir, após qualquer início de curva, o cantar dos pneus. Isso é causado pela falta de alinhamento. Por isso, fique atento caso, após algum impacto mais forte, esse barulho se intensificar. Além disso, vale a pena checar o alinhamento total do carro a cada 10 mil km rodados.

Ronco do rolamento. São ruídos graves e abafados, percebidos quando o carro está em movimento e semelhantes ao ronco de um ventilador. Geralmente, estes sons estão relacionados ao desgaste dos rolamentos de roda. “É um tipo de barulho que deve ser verificado rapidamente, logo quando surgir, pois pode ser coisa séria”, comenta Eliel. Se houver muita folga, existe a chance de travamento e de avarias na ponta de eixo, aumentando bastante os custos para consertar, além dos riscos de acidentes.

Correia grilando. Esse ruído dá sinal no momento da partida ou quando o motor acelera. Trata-se de uma aguda e estridente serenata, vinda da correia, que provavelmente estará ressecada. Se estiver dentro da vida útil estipulada pelo manual do veículo, basta um spray específico que a barulheira vai embora.

Estalos do motor ou câmbio. No momento da partida, após engatar a marcha e entrar em movimento, é possível notar um barulho vindo do motor. Pode ser o coxim do motor ou do câmbio, que já está danificado. Este componente de metal e borracha é essencial para amortecer as vibrações do motor e câmbio e mantê-los sempre firmes em suas posições originais. Se ouvir estes estalos, procure um especialista.

Antonio Puga

Antonio Puga

Antonio Puga é jornalista, especializado no setor automotivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.